sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Cateterismo Vesical de Demora - Feminino

Imprimir



                 

   objetivo desse procedimento é proporcionar ao paciente a drenagem da urina através de um cateter (sonda), dando-lhe, muitas vezes, o alívio por um maior tempo. Também apresenta outras indicações, como por exemplo, antes de uma cirurgia ou até mesmo depois dela, para drenar secreções que por ventura venham se acumular dentro da bexiga.
                     A sonda vesical de demora deve ser trocada de acordo com as orientações dos fabricantes ou de acordo com a prescrição médica. A passagem desse tipo de sonda é um procedimento que cabe ao Enfermeiro (a) realizar, mas também pode ser feita por um médico, já outros profissionais não apresentam direito algum sobre esse tipo de procedimento.
       Quais são os materiais necessários? 
      Bandeja Contendo:
·         Materiais:
1.    Cuba rim;
2.    Algodão;
3.    Sonda vesical de calibre (Fr) adequado 12, 14, 16;
4.    Xilocaína gel;
5.    Luvas estéreis;
6.    Uma seringa de 20 mL;
7.    Um pacote de gaze;
8.    Agulha 40x12;
9.    10 mL de água destilada;
10. Esparadrapo ou micropore®;
11. Biombo;
12. Bolsa coletora, sistema fechado conforme prescrição;
13. Material para higiene íntima;
Como se desenvolve o procedimento?
·         Descrição do Procedimento:
1.    Reunir todo o material;
2.    Lavara as mãos;
3.    Promover um ambiente tranquilo à cliente;
4.    Colocar a cliente em posição ginecológica, expondo somente os genitais;
5.    Calçar as luvas de procedimentos;
6.    Realizar higiene íntima;
7.    Retirar as luvas e lavar as mãos;
8.    Dispor todos os materiais estéreis com técnica asséptica;
9.    Colocar a solução antisséptica na cuba rim;
10. Abrir a embalagem do coletor e deixar sua ponta sobre o campo estéril;
11. Calçar as luvas estéreis;
12. Aspirar a água destilada na seringa estéril;
13. Testar o balão e válvula da sonda;
14. Conectar a sonda à extensão do coletor;
15. Lubrificar a sonda com xilocaína;
16. Realizar antissepsia da vulva e meato uretral, dos grandes lábios e pequenos lábios no sentido anteroposterior de cima para baixo com gazes embebidas no antisséptico;
17. Expor o vestíbulo vaginal, separando os pequenos lábios com os dedos, indicador e polegar;
18. Não soltar os dedos até que seja introduzida a sonda;
19. Inserir 10 cm da sonda; após o fluxo da urina presente, pare a introdução da sonda;
20. Insuflar o balão com a quantidade de água indicada na embalagem da sonda;
21. Tracionar a sonda de forma delicada, até encontrar resistência;
22. Fixar a sonda com esparadrapo ou micropore® na parte interna da coxa;
23. Promover um ambiente confortável para a cliente;
24. Retirar o material do quarto
25. Lavar as mãos;
      26. Realizar anotações de enfermagem, especificando o frenche (calibre ou número) da sonda, volume de água colocado no balão, aspecto da urina e volume eliminado.
Assista o vídeo: fonte: http://www.youtube.com/watch?v=zqx5EuHKlqo


Download do Arquivo: postagem sem anexos! IMPRIMA À VONTADE E CITE SEMPRE A FONTE!